Tesla é o Veículo Elétrico mais vendido em 2021!

Nota prévia: assim que foram conhecidos os números de dezembro de 2021, estes não se enquadravam no histórico, nem na tendência que temos vindo a registar. Foi-nos informado que algo não estaria conforme com o número de viaturas vendidas pela Tesla. Aguardámos até termos informação oficial do número de vendas da Tesla em dezembro de 2021. Aqui estão os números corretos do mês de dezembro e do ano de 2021.

Em dezembro de 2021 os Veículos 100% Elétricos (BEV – Battery Electric Vehicle) registaram um ligeiro aumento de 1.1% e os Veículos Elétricos Híbridos Plug-In (PHEV – Plug-in Hybrid Electric Vehicle) caíram 10.6%, realçando que num mercado em retração, entre outras razões pela falta de componentes, os veículos 100% elétricos conseguem resistir melhor que os híbridos plug-in, pela simples razão que existe uma muito maior oferta e a sua autonomia média aumentou significativamente – a autonomia média dos veículos totalmente elétricos situa-se atualmente nos 400 km.

Analisando os três últimos anos, sendo que os dois últimos foram severamente atingidos pela pandemia da covid-19, registamos uma excelente prestação dos elétricos puros, com a sua procura a aumentar todos os meses. A oferta atual cobre um cada vez maior número de necessidades de utilização e, por outro lado, a expansão da Rede de Carregamento para Veículos Elétricos aumenta de uma forma consolidada, suprindo as necessidades de um cada vez maior de número de cidadãos que optam pela mudança para os veículos elétricos.

Com os veículos elétricos híbridos plug-in sucede justamente o contrário, a oferta, apesar de ter aumentado, cresceu menos do que a dos elétricos puros e estes ao disponibilizarem já autonomias que vão de encontro às necessidades das mais variadas utilizações, levam a que na hora da decisão entre um PHEV e um BEV a escolha recaia cada vez mais para o BEV, e bem, dizemos nós.

O crescimento das duas categorias (BEV+PHEV) tem vindo a consolidar-se e tem resistido ao abalo que a indústria automóvel que utiliza combustíveis fósseis tem sofrido, quer pela falta de componentes (chips), quer na cada vez maior relutância por parte do comprador em adquirir veículos altamente poluentes, com impacto directo nas emissões de gases poluentes com efeito de estufa e nas alterações climáticas que já são uma preocupante realidade em muitas regiões do Mundo.


Quota de Mercado e Variação de Vendas de Veículos em Portugal
2020/2021 – Combustão Interna vs. Elétricos

A quota de mercado dos veículos elétricos em Portugal tem vindo a crescer de uma forma consolidada. Em termos mensais a quota de dezembro de 2021 cifrou-se nos 26% mais de 1/4 de todos os veículos vendidos em Portugal, na categoria dos ligeiros de passageiros foram veículos elétricos (BEV ou PHEV). Em termos anuais, em 2021, a quota atingiu os 20%, portanto um em cada cinco automóveis ligeiros de passageiros vendidos em Portugal foi um veículo elétrico (BEV ou PHEV).

Os veículos de combustão interna (VCI), ligeiros de passageiros, continuam em terreno negativo acumulando perdas mensais consecutivas, tendo a sua variação homóloga mensal sido negativa em oito dos doze meses do ano. Uma tendência que o ano de 2022 que agora começa deverá confirmar. Na totalidade do ano de 2021 os veículos com motores que utilizam combustíveis fósseis caíram 6.4% em relação a 2020 que já tinha sido um ano demolidor para a indústria automóvel mais poluente.

Pelo contrário os veículos elétricos ligeiros de passageiros (BEV+PHEV) continuam em terreno positivo, tendo valorizado em dez dos doze meses do ano, fechando o ano de 2021 com uma valorização homóloga de 47.4% face a 2020, tendo vendido 29.033 veículos elétricos, um novo recorde anual de vendas de VE em Portugal. A eletrificação dos transportes rodoviários está a acontecer a um ritmo cada vez mais acelerado e de uma forma consolidada.

Se considerarmos apenas os veículos elétricos ligeiros de passageiros (BEV) esse aumento é ainda mais expressivo, com nove dos doze meses a registarem crescimentos homólogos e o total do ano de 2021 a terminar com um crescimento homólogo de 70.7%. Número fantástico no contexto em que vivemos, tendo os BEV atingido uma quota de mercado mensal, em dezembro, de 15.7%, a segunda melhor quota mensal de sempre e em termos anuais terem atingido a quota de 9.1%, muito perto dos 10% algo inimaginável há poucos anos. É a Mobilidade Elétrica.

No conjunto, a variação de todas as motorizações de veículos ligeiros de passageiros, os BEV são os únicos que mantêm a variação mensal em terreno positivo nos últimos três meses do ano. Este será também um indicador a seguir em 2022, ano em que tudo indica que esta tendência irá manter-se e provavelmente acentuar-se.


Vendas de veículos ligeiros de passageiros em Portugal, por tipo de energia
em Dezembro de 2021

As motorizações alternativas, aqui consideradas (BEV+PHEV+HEV), portanto todas as que não sejam exclusivamente motorizações a gasolina e a gasóleo, foram as mais vendidas em dezembro de 2021, ultrapassando as vendas de veículos ligeiros de passageiros com motor a gasolina e duplicando a quota de mercado em relação aos veículos com motores a gasóleo, que continuam em queda muito acentuada – como aliás tudo fazia prever.

O conjunto dos Veículos Elétricos (BEV+PHEV) representam mais de um quarto dos veículos ligeiros de passageiros vendidos em Portugal durante o mês de dezembro, quota que se mantém acima dos 20%, ininterruptamente, nos últimos cinco meses e que supera a quota dos ligeiros de passageiros com motorização a gasóleo.


Marcas de Veículos Elétricos mais vendidas em Portugal
em dezembro de 2021

Como já referimos ao abrir este artigo, os números inicialmente anunciados tinham uma desconformidade em relação ao número de viaturas vendidas pela marca Tesla. Depois de obtermos confirmação oficial, estes são os números finais e reais das vendas dos ligeiros de passageiros 100% elétricos em dezembro de 2021 e na totalidade do ano de 2021.

Em dezembro de 2021 a Renault foi a marca que mais viaturas vendeu (280), seguida da Tesla (265) e da Kia (210). No total do ano de 2021 o primeiro lugar é de novo para a Tesla com 1612 viaturas vendidas, ficando a Peugeot na segunda posição com 1545 unidades entregues e a Renault a fechar o pódio com 1182 viaturas entregues.

Nos veículos híbridos plug-in tudo igual em relação a 2020, Mercedes-Benz mantém o primeiro lugar, agora com 3783 unidades vendidas, em segundo lugar a BMW com 3451 viaturas entregues e a fechar o pódio a Volvo com 2195 veículos vendidos. Só no mês de dezembro de 2021 houve uma inversão com a BMW (260) a alcançar o primeiro lugar ultrapassando a Mercedes-Benz (230) que ficou na segunda posição e fechando o pódio a Volvo na terceira posição com 216 viaturas entregues.

No conjunto dos veículos elétricos (BEV+PHEV) a grande novidade é a intromissão da Peugeot entre os três crónicos primeiros classificados (Mercedes-Benz, BMW e Volvo), alcançando a terceira posição no número de vendas mensais, com a Mercedes-Benz no segundo lugar e a BMW com o primeiro lugar no mês. Estas mesmas três marcas ficaram no pódio de vendas do ano, com o 1º lugar para a Mercedes-Benz (4402), 2º lugar para a BMW (4063) e 3º lugar para a Peugeot (2661).

Terminado o ano olhando para as dez marcas mais vendidas por categoria temos a Tesla como grande vencedor nos Veículos 100% Elétricos (BEV) com 1612 viaturas vendidas e a Nissan em contínua perda de notoriedade- em virtude do atual modelo estar já ultrapassado face à oferta da concorrência.
De registar a ascensão da Peugeot ao segundo lugar (1545), a Renault no terceiro posto (1182), a Hyundai na 4ª posição – fruto do sucesso dos modelos Kauai e Ioniq 5 -, assim como a Kia (660) que alcança o sexto lugar – com os dois modelos mais emblemáticos da marca, o e-Niro e o surpreendente EV6, seguramente um caso de sucesso de vendas em 2022.

Nos Veículos Elétricos Híbridos Plug-In (PHEV) de registar a ascensão de modelos mais acessíveis que permitiram à Peugeot (1116) e à Renault (654) aproximarem-se dos lugares da frente habitualmente ocupados pela Mercedes-Benz (3783), a BMW (3451) e a Volvo (2195).

O ano de 2021 foi mais um ano fantástico para a Mobilidade Elétrica em Portugal, pelo crescimento sustentado das vendas dos Veículos Elétricos (VE), com particular destaque para o forte crescimento dos Veículos 100% Elétricos, tendência que parece ter vindo para se impor, fruto da oferta atual de modelos e versões – mais de 120 – mas também da autonomia que já apresentam os elétricos puros que ultrapassa os 600 km e mesmo os 700 km (WLTP) e com uma autonomia média dos modelos atualmente à venda em Portugal a situar-se nos 400 km.

Também com forte impacto no aumento das vendas de VE tem sido a manutenção dos Incentivos à Aquisição de um Veículo Elétrico, a Isenção do pagamento do ISV (Imposto Sobre Veículos) e do IUC (Imposto Único de Circulação, o selo do carro), os Benefícios Fiscais para as empresas (dedução do IVA), a discriminação positiva dos Veículos Elétricos no estacionamento em muitas das principais cidades do país, os descontos na travessia das pontes Vasco da Gama e 25 de abril na travessia do rio Tejo (Via Card) e a oferta de carregamento em muitas das unidades hoteleiras do país – o que tem sido um fator importante na hora da escolha da unidade hoteleira por parte dos utilizadores de veículos elétricos.

Por último, mas com não menos importante, a expansão da Rede Nacional de Carregamento para Veículos Elétricos que conta atualmente com mais de 1.000 pontos de carregamento rápido, super-rápido e ultrarrápido (50 kW, de 100 kW a 150 kW e de 160 kW a 350 kW) e mais de 6.000 pontos de carregamento normal (3.7 kW, 7.4 kW, 11 kW e 22 kW), no conjunto da Rede Pública de Carregamento sob gestão da MOBI.E e das diversas Redes sob gestão Privada – Tesla, Continente Plug & Charge, Power Dot (para TVDE’S) e de diversos concessionários (VW, BMW, Renault, Porsche, etc.) -, que complementam a atual oferta, para quem necessita de carregar no espaço público ou em viagens.

Para 2022 as expectativas são de uma ainda maior aceleração das vendas de VE. É urgente a eletrificação dos transportes rodoviários e a transição energética como forma de mitigarmos os impactos negativos das alterações climáticas. Todos podemos fazer algo, começando, desde logo, pela adoção de um Veículo Elétrico e deixando de consumir combustíveis fósseis, responsáveis por uma parte importante das emissões de gases com efeito de estufa.

Votos de um Ano Novo de 2022 pleno de opções sustentáveis!


Correção do artigo a 10/01/2022 na tabela de marcas mais vendidas de veículos ligeiros de passageiros em 2022.

Artigos relacionados


Vendas de Veículos Elétricos em Portugal

Consulte todos os artigos mensais da UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos, onde são analisados os valores de vendas de veículos Elétricos em Portugal.


Veículo Elétrico ou Combustão Interna, o que polui mais?

A desinformação e as dúvidas levantadas pela poluição global causada pelos Veículos Elétricos, por comparação com os veículos com motor de combustão interna, são constantes. Recentemente, pelo canal de YouTube GasTroll, surgiu um trabalho bastante completo que analisa esta comparação.

A UVE procedeu à tradução do vídeo para português!