A UVE e o crescimento da mobilidade elétrica em Portugal. 6 anos de atividade – 6 anos de crescimento

Artigo publicado na edição nº 54 da revista Blueauto de abril de 2022, sobre o evento que assinalou 6º aniversário da Apresentação Pública da UVE, Museu da Eletricidade e sobre a viagem realizada em março com o Aiways U5, de Lisboa a Antuérpia.


Henrique Sánchez
Presidente da UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos
Artigo Mensal de Opinião na Revista Blueauto


No dia 23 de março de 2016, no Museu da Eletricidade, em Lisboa, realizou-se a Apresentação Pública da Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos – a UVE.

apresentação pública 23 de março 2016

No dia 23 de março de 2022, seis anos mais tarde, regressámos ao Museu da Eletricidade, em Lisboa, para assinalarmos a data, mostrarmos o que foi feito, o que falta fazer e o crescimento da Rede Pública de Carregamento, no número de carregadores, na eletricidade consumida, no número de utilizadores de veículos elétricos, na quantidade de toneladas de CO2 evitadas e, portanto, não emitidas, e no número de sessões de carregamento realizadas entre o dia 31 de dezembro de 2015 e o dia 31 de dezembro de 2021. Seis anos que coincidem com os primeiros seis anos de atividade da UVE.

Como podemos constatar, o número de Postos de Carregamento de Veículos Elétricos (PCVE) teve um aumento de quase 400%, a que se referem cerca de 5.000 pontos de carregamento (tomadas) e isto apenas na Rede Pública, a 31 de dezembro de 2021. Se a estes adicionarmos os Postos de Carregamento das diversas Redes Privadas, (que complementam a Rede Pública), este número já ultrapassa os 6.000 pontos de carregamento, no conjunto das tomadas AC (corrente alternada) e DC (corrente contínua).

Este total de Postos e de Pontos da Rede Pública de Carregamento de Veículos Elétricos permitiram, no ano de 2021, um total de 1.460.711 sessões de carregamento efetuadas por 58.549 utilizadores distintos, com cartões de Comercializadores de Eletricidade para a Mobilidade Elétrica (CEME), a partir de novembro de 2018, nos Postos de Carregamento Rápido, ou com cartões da MOBI.E até abril de 2019 nos Postos de Carregamento Normal.

Este crescimento da Rede Pública de Carregamento e do número de utilizadores de veículos elétricos gerou um consumo de energia que passou de 355 MWh em 2015 para uns fantásticos 18.507 MWh consumidos durante o ano de 2021, e isto, repito, apenas na Rede Pública, não estão contabilizados os consumos nas Redes Privadas, nem nas nossas casas ou nas empresas, o que faria este número aumentar substancialmente. O maior crescimento foi verificado nos carregamentos rápidos, sendo que o crescimento nos carregamentos super-rápidos e ultrarrápidos têm ainda uma expressão diminuta, pois só agora começaram a ser instalados este tipo de carregadores de uma forma mais generalizada.

Todo este movimento de abertura e instalação de Postos de Carregamento, de aumento do número de utilizadores de veículos elétricos e do crescimento do número de sessões de carregamento gerou uma não emissão de CO2 para a atmosfera de 34.068 toneladas, sendo que só no último ano de 2021 esse evitar de emissões cifrou-se em 13.366 toneladas de CO2 não emitidas e, portanto, que não vieram contribuir para o agravamento das alterações climáticas e para as metas que foram definidas pelo Acordo de Paris. E insisto, estes números só se referem aos consumos na Rede Pública de Carregamento!


E a UVE como cresceu?

Como Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos e com apenas seis anos de atividade, orgulhamo-nos de ter contribuído com o empenho e a dedicação dos seus Fundadores, dos membros dos Órgãos Sociais e de um conjunto alargado de colaboradores de terem cooperado com o seu trabalho voluntário e pró-bono para o desenvolvimento deste projeto que rapidamente passou de um sonho de alguns pioneiros da Mobilidade Elétrica para uma realidade com trabalho realizado, credível e participativa na melhoria dos aspetos mais negativos que o atual modelo ainda revela. Uma palavra para as duas atuais funcionárias que têm sido inexcedíveis na dedicação e no abraçar da construção do que, já hoje, é, sem dúvida, a referência para os utilizadores de veículos elétricos e para as entidades, públicas e privadas, envolvidas no desenvolvimento da Mobilidade Elétrica em Portugal.

Crescemos de 20 associados fundadores para, à data de hoje, quase 1.000 associados efetivos, de não termos funcionários a tempo inteiro a termos duas funcionárias, de termos iniciado esta caminhada com dois Protocolos para possuirmos, neste momento, 75 Protocolos e 3 Parcerias Estratégicas com benefícios diretos para todos os nossos associados. Os Órgãos Sociais foram reforçados com o aumento dos membros do seu Conselho Diretivo dos cinco membros iniciais para nove membros atualmente.

No entanto, por muito que a nossa atividade seja reconhecida publicamente, que já o é, não temos dúvida que a grande fatia da nossa atividade não é perceptível no imediato, é um trabalho de insistência, didático e de motivação dos vários intervenientes em toda a fileira da Mobilidade Elétrica. Que melhor forma de o representar do que com a imagem de um iceberg. A maior parte, a mais influente e porventura a mais eficaz, é o que fazemos sem se ver no imediato, é um trabalho que exige paciência e firmeza nas nossas convicções e no caminho que traçamos e que estão inscritos nos nossos Estatutos: a Promoção da Mobilidade Elétrica em todas as suas vertentes.

Neste momento de celebração pelo trabalho já efetuado, estamos todos conscientes que falta muito caminho, que o mais difícil estará sempre à nossa frente, que se fosse fácil já todos andaríamos de veículos elétricos, já não consumiríamos combustíveis fósseis, existem escolhos, impedimentos legais e regulamentares, muita falta de informação, mas também alguma desinformação propositada. Aqueles que no futuro irão perder protagonismo tudo farão para que este caminho avance o mais lentamente possível, pois nós, na UVE, tudo faremos para que este movimento de eletrificação da mobilidade dos transportes e de descarbonização da economia, da mudança de um modelo de desenvolvimento assente nos combustíveis fósseis para um modelo de desenvolvimento assente nas energias renováveis, acelere o mais rapidamente possível, o tempo urge e a massificação da utilização dos veículos elétricos ainda tem um longo caminho a percorrer.

Lisboa, 28 de março de 2022


De Lisboa a Antuérpia no Aiways U5

Na edição n.º 54 da Blueauto, é feito um resumo da viagem realizada pela UVE, entre Lisboa e Antuérpia, com o Aiways U5.

Consulte artigo completo da viagem.

Consulte a edição digital da Revista Blueauto, nº 54

Artigos relacionados


Quanto custa percorrer 100 km num Veículo Elétrico?

Artigo publicado na revista Blueauto nº 53, de março de 2022.


Vou comprar um carro elétrico! Onde carregar? Como carregar?

Artigo publicado na revista Blueauto nº 52, de fevereiro de 2022.