Incentivos do Estado à Aquisição de um Veículo Elétrico – 2021

Artigo publicado na edição nº42 da revista Blueauto de abril de 2021, sobre o Incentivo pela Introdução no Consumo de Veículos de Baixas Emissões (2021) e um pequeno balanço sobre os Incentivos do Fundo Ambiental, desde 2015.


Henrique Sánchez
Presidente da UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos
Artigo Mensal de Opinião na Revista Blueauto


Desde 2015 que o governo português disponibiliza, anualmente, um pacote de incentivos à Aquisição de Veículos Elétricos, o âmbito desses Incentivos atribuídos através do Fundo Ambiental tendo vindo progressivamente a alargar.

Além dos automóveis ligeiros de passageiros, passaram a estar contemplados os veículos ligeiros de mercadorias, os motociclos e ciclomotores elétricos e a mobilidade elétrica suave: bicicletas elétricas, bicicletas de carga elétricas – as conhecidas cargo bikes -, e até mesmo as bicicletas convencionais sem apoio elétrico.

A verba disponibilizada em 2020 foi de 4.000.000€, não tendo sido suficiente para atender a todas as candidaturas recebidas. Foi totalmente atribuída com a seguinte segmentação:


A verba sobrante numa determinada categoria foi redistribuída pelas categorias onde não existiram candidaturas suficientes para esgotar a verba orçamentada. Ficaram por satisfazer 400 candidaturas de veículos ligeiros de passageiros e cerca de 1.000 candidaturas de veículos elétricos de duas rodas, a esmagadora maioria bicicletas elétricas, mas também 25 candidaturas de motociclos elétricos e 30 de ciclomotores elétricos.

De referir que em 2020 foram matriculados em Portugal um total de 8.137 veículos 100% elétricos, número este muito superior aos 1.465 incentivos efetivamente concedidos (excluindo os veículos sem necessidade de matrícula). Estes Incentivos à aquisição de um Veículo Elétrico só abrangem veículos novos 100% elétricos, não estando abrangidos os veículos híbridos plug-in.

Total de veículos 100% elétricos novos vendidos em Portugal em 2020:

Para 2021, vindo ao encontro de uma proposta da UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos, a verba orçamentada para as candidaturas à aquisição de veículos ligeiros de passageiros é exclusiva para candidaturas de pessoas singulares, o que permitirá a um maior número de cidadãos poderem beneficiar deste Incentivo à aquisição de um veículo elétrico ligeiro de passageiros.

Para as pessoas coletivas, as empresas, estão disponíveis os incentivos à aquisição de veículos ligeiros de mercadorias, este ano com uma oferta de mercado já significativa, ao contrário do que se verificou em 2020 e em anos anteriores.

Para as empresas continuam disponíveis um outro conjunto de Benefícios Fiscais, a que os particulares não têm acesso, como sejam:

  • Dedução do Imposto de Valor Acrescentado (IVA)
  • Isenção de tributação autónoma em sede de IRC

A UVE em diversas ocasiões tem alertado para a necessidade de uma maior aproximação ao valor médio do Incentivo à Aquisição de um Veículo Elétrico na União Europeia, que se situa atualmente nos 6.000€ por candidatura, o dobro dos atuais 3.000€ por candidatura em vigor em Portugal, para pessoas singulares.

A verba total disponível para 2021 para os Incentivos à Aquisição de um Veículo Elétrico, mantém-se, assim, nos 4.000.000€ distribuída da seguinte forma:

De realçar como positivo o aumento do Incentivo para os Veículos Ligeiros de Mercadorias que passou dos anteriores 3.000€ para os atuais 6.000€, duplicando de valor num único ano, promovendo assim a eletrificação deste tipo de veículo elétrico comercial ligeiro, que permite as entregas de encomendas em meio urbano e metropolitano, quer nos estabelecimentos comerciais e de restauração, quer das inúmeras compras on-line, que dispararam durante os meses de estado de emergência e de confinamento que atravessamos. Esta mobilidade fazendo uso de veículos elétricos comerciais ligeiros, centrada nos meios urbanos e metropolitanos, é uma das mudanças mais visíveis que vieram para ficar e se generalizaram, começando a ser adotadas pelas grandes frotas das empresas de entregas de encomendas de pequeno e médio porte.

Pela negativa, de registar o diminuto valor – apenas 350€ como máximo -, para as candidaturas à aquisição de um motociclo ou de um ciclomotor elétrico, valor este completamente desajustado ao preço destes tipo de veículos de duas rodas especialmente, quando comparado com o valor do incentivo atribuído à mobilidade mais suave, as bicicletas de carga elétricas e convencionais e as bicicletas elétricas. É imperativo aumentar o valor do Incentivo à Aquisição de um Motociclo Elétrico ou de um Ciclomotor Elétrico, especialmente quando este tipo de veículos é cada vez mais utilizado na entrega de pequenas encomendas e de refeições ao domicílio por parte de empresas de restauração.

Para Portugal poder atingir os objetivos a que se propôs no âmbito do combate às alterações climáticas, urge acelerar a eletrificação da mobilidade dos seus cidadãos, a redução da poluição atmosférica e sonora nos grandes meios urbanos, a melhoria significativa da mobilidade do tráfego em meio urbano, aumentando a oferta de transportes públicos elétricos e eletrificados (autocarros, elétricos, metropolitano e barcos) e das condições para o uso dos modos de mobilidade mais ligeira e suave.

Pode apresentar a sua candidatura no portal do Fundo Ambiental em:

https://www.fundoambiental.pt/avisos-2021/mitigacao-das-alteracoes-climaticas/incentivo-pela-introducao-no-consumo-de-veiculos-de-baixas-emissoes-2021.aspx


ENVE 2021

Para garantir a segurança de todos os visitantes, o ENVE 2021 decorrerá segundo todas as normas de saúde pública em vigor à data do evento.

Consulte a edição digital da Revista Blueauto, nº 42

Artigos relacionados


Hidrogénio? Não, Obrigado!

Artigo publicado na revista Blueauto nº 41, de março de 2021.


Vendas de automóveis ligeiros de passageiros em 2020 por tipo de energia

Artigo publicado na revista Blueauto nº 40, de fevereiro de 2021.