Mobilidade Elétrica: o melhor e o pior de 2022. Perspetivas para 2023.

Artigo de opinião de Henrique Sánchez, publicado na edição nº 63 da revista Blueauto de janeiro de 2023, com um resumo sobre o crescimento da Mobilidade Elétrica em Portugal e o que se espera para o ano de 2023.


Henrique Sánchez
Presidente da UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos
Artigo Mensal de Opinião na Revista Blueauto


Votos de um Ano Novo de 2023 pleno de opções sustentáveis, eletrizante para todos os que já optaram por um veículo elétrico e pelos que irão optar por um veículo elétrico durante o ano que agora se inicia. Terminámos 2022 com excelentes notícias para o desenvolvimento da Mobilidade Elétrica em Portugal.

  • As vendas de veículos 100% elétricos (BEV-Battery Electric Vehicle) ligeiros de passageiros, voltaram a bater o recorde anual de vendas tendo aumentado 33.3% em relação a 2021;
  • A quota de mercado de veículos 100% elétricos (BEV) ligeiros de passageiros, atingiu os 14.3% em dezembro e os 11.4% na totalidade do ano de 2022;
  • A quota de mercado do conjunto dos veículos elétricos ligeiros de passageiros – os 100% elétricos (BEV) e os híbridos plug-in (PHEV-Plug-in Hybrid Electric Vehicle) – foi de 26.9% no mês e de 21.7% no ano;
  • Em 2022 a Rede Pública de Carregamento de veículos elétricos teve um crescimento homólogo superior a 100%. Entraram em funcionamento várias Estações de Carregamento com múltiplos carregadores. Temos mais carregadores e com maior potência, a capilaridade da Rede Pública de Carregamento expandiu-se decisivamente, todos os concelhos do país já possuem pelo menos um Posto de Carregamento;

  • Realizaram-se mais de 2.490.000 carregamentos na Rede Pública de Carregamento, um aumento de 80% face ao período homólogo;
  • Entraram em funcionamento na Rede Pública de Carregamento 128 novos Postos de Carregamento em cada mês, que corresponde a um total de 1.536 novos Postos de Carregamento no ano de 2022;
  • Estão em comercialização em Portugal cerca de 200 modelos e versões de veículos elétricos, abrangendo a quase totalidade das marcas presentes no país, tendo entrado em Portugal novas marcas com oferta 100% elétrica;
  • A média da autonomia real dos veículos 100% elétricos à venda em Portugal é de 400 km, sendo que alguns modelos já apresentam autonomias que ultrapassam os 700 km;
  • O custo total de operação de um veículo 100% elétrico é muito inferior ao de um veículo com motor a gasolina ou a gasóleo, quer pelo custo inferior da eletricidade em relação aos combustíveis fósseis, quer pelos reduzidos custos de manutenção no pós-venda, quer ainda pela possibilidade de produção de eletricidade no próprio veículo elétrico através da travagem regenerativa.

Os veículos elétricos vão triunfar porque simplesmente são melhores, muito melhores, do que os equivalentes movidos por motores de combustão interna.

Neste Novo Ano opte por um veículo elétrico, cada ação de cada um de nós contribui para a mudança que urge: a transição energética e a eletrificação dos transportes.

Comparativo do custo para percorrer 100 km com um automóvel com motor a gasolina, a gasóleo e elétrico, neste caso num carregamento na Rede Pública de Carregamento, em casa ou no local de trabalho utilizando uma tarifa simples ou uma tarifa bi-horária.


Os veículos 100% elétricos possuem motores muito mais eficientes, com muito menor consumo de energia para percorrer a mesma distância, portanto menor custo por km percorrido e possibilidade de gerar eletricidade apenas pela ação da travagem regenerativa.


Também foram identificados alguns aspetos negativos durante o ano de 2022 que prejudicam os utilizadores de veículos elétricos e a expansão da mobilidade elétrica.

  • Mantêm-se por abrir as duas Estações de Carregamento Super-Rápido da Tesla (SuC – Super Charger) em Matosinhos e Castelo Branco, além da ampliação de Alcácer do Sal, algo que nos tinha sido garantido estar resolvido até ao final do ano de 2022;
  • Continua a existir uma grande diversidade de tarifários complexos, uns com cobrança ao minuto outros ao kWh, que não permitem, com clareza, saber o custo de cada carregamento efetuado;
  • Alguma legislação requer atualização urgente: conversão de veículos a combustão para elétricos, disponibilização do selo do IMT juntamente com o Documento Único evitando burocracias, disponibilização da iluminação pública para o carregamento de veículos elétricos, são alguns dos exemplos;
  • A não existência de sombreamento nas Estações de Carregamento com múltiplos carregadores.

Que podemos esperar para o ano de 2023 que agora começa?

  • Aumento do montante total destinado aos Incentivos para a Aquisição de um Veículo Elétrico;
  • Manutenção dos Benefícios Fiscais para os veículos 100% elétricos;
  • Continuação do aumento da Rede Nacional de Carregamento para veículos elétricos, no número de postos, na sua localização e na maior potência disponível;
  • Aumento da oferta de veículos elétricos, especialmente os 100% elétricos e os ligeiros de mercadorias;
  • Aparecimento de modelos mais económicos que permitam a cada vez um maior número de cidadãos optarem por um veículo 100% elétrico;
  • Resolução definitiva dos impedimentos que não permitem a abertura ou ampliação dos SuC da Tesla;
  • Aumento das frotas 100% elétricas de ligeiros de mercadorias para a distribuição urbana e dos autocarros 100% elétricos nos transportes públicos.

Dois factos marcantes para a mobilidade elétrica mundial que nos chegam da Noruega:

  • Em 2022 na Noruega, 6.7% dos veículos ligeiros vendidos foram movidos a combustíveis fósseis, gasolina e gasóleo, enquanto 87.8% foram veículos elétricos dos quais 79.3% são veículos 100% elétricos;
  • A Hyundai deixou de comercializar veículos com motores a gasolina ou a gasóleo a partir deste dia 1 de janeiro de 2023, na Noruega.

O ano de 2023 será um ano de grande expansão da Mobilidade Elétrica em Portugal, na Europa e no Mundo.

Lisboa, 7 de janeiro de 2023
Henrique Sánchez

Consulte a edição digital da Revista Blueauto, nº 63

Artigos relacionados



Simplificar o Tarifário da Rede Pública de Carregamento

Proposta UVE para Simplificar o modelo de cobrança dos Carregamentos na Rede Pública de Carregamento.

  1. Diferenciação de custo por tipo de tomada e/ou potência de carregamento.
  2. Cobrança em energia (kWh) com uma taxa suplementar por tempo (minutos) após determinado período de utilização.

Quanto custa percorrer 100 km com um veículo 100% elétrico?

A UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos criou um modelo de análise do custo para percorrer 100 km, entre os parâmetros analisados encontram-se os valores dos vários tipos de postos de carregamento em Portugal (na Rede Pública), carregamento em casa/condomínio (tarifa de eletricidade simples e bi-horária), tal como o consumo real dos vários modelos de veículos automóveis 100% elétricos em circulação em Portugal.