Rede Pública de Carregamento para Veículos Elétricos: O fim do Projeto Piloto

O início do mês de julho de 2020 marcou o fim do projeto piloto da MOBI.E, e a entrada numa das fases mais importantes e desafiantes da Mobilidade Elétrica em Portugal, a fase comercial.


Henrique Sánchez
Presidente da UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos
Artigo Mensal de Opinião da Revista Blueauto


No passado dia 1 de julho o Projeto Piloto da Rede MOBI.E, concebido para durar um ano e meio e que se arrastou por dez anos, fruto de várias contingências políticas e económicas chegou ao seu fim, com a concessão a operadores privados de 663 PCN – Postos de Carregamento Normal instalados em espaços públicos de acesso público, mais conhecidos como os postos que estão na via pública.

Este concurso público, lançado no dia 27 de dezembro de 2019 e que disponibilizou 11 lotes de cerca de 60 postos/lote, atribuiu 3 lotes aos operadores EDP Comercial, Galp Power e Power Dot (Horizondistance), e dois lotes ao operador KLC.

As condições deste concurso foram oportunamente anunciadas pela MOBI.E e divulgadas pela UVE no seu portal.

Com este passo decisivo a mobilidade elétrica atinge a sua maioridade, estando a partir de agora toda a Rede Pública de Carregamento concessionada a operadores privados, que terão todo o interesse em manter os postos em condições de operacionalidade, ligados, com écrans legíveis, com os tarifários afixados, corrigindo ainda algumas colocações no terreno impeditivas que alguns modelos de VE carreguem sem infringir o código da estrada, etc.

As várias Redes de Carregamento – rápido e super-rápido – quer seja a Rede Pública de Carregamento sob gestão da Entidade Gestora da Mobilidade Elétrica (EGME), atualmente a MOBI.E, quer sejam as diversas redes privadas, como as Estações de Carregamento da Power Dot, da Mobiletric ou da KLC, ou ainda a Rede de SuperCarregadores (SuC) da Tesla e a Rede que a Porsche começou recentemente a instalar, permitem que neste momento o total de pontos de carregamento rápido e super-rápido existentes a nível nacional seja de quase 400 pontos de carregamento (alguns PCR permitem o carregamento simultâneo de duas viaturas). De registar que os carregadores rápidos (PCR) têm uma potência de 50 kW e que os carregadores super-rápidos (SuC) da Tesla têm uma potência de 150 kW, o triplo da rede rápida, sendo que alguns Tesla podem carregar a 250 kW. O atual SuC em construção em Loulé já terá estes novos super-carregadores de 250 kW. No entanto, a esmagadora maioria dos VE em circulação em Portugal só conseguem carregar a 50 kW. Começam a chegar ao mercado VE de diferentes marcas que carregam a 100 kW. É expectável que até ao final do corrente ano sejam instalados os primeiros super-carregadores e até algum ultra-carregador (350 kW) em Portugal.

Distribuição dos carregadores rápidos e super-rápidos em Portugal (junho 2020).


No que respeita às Redes de Carregamento Normal, a Rede Pública, também sob gestão da MOBI.E e as redes privadas como a dos Carregadores no Destino Tesla (Destination Chargers) e outras que funcionam em espaços privados de acesso privado, elevam o número de pontos de carregamento disponíveis a nível nacional para mais de 3.000, sendo que os PCN da Rede Pública são sempre duplos, isto é, cada PCN tem duas tomadas. No caso dos Carregadores no Destino Tesla são instalados sempre pelo menos dois carregadores, existindo casos de instalação de quatro e mais carregadores, sendo que um é exclusivo para viaturas Tesla, de cor vermelha, e o outro é universal, disponível para qualquer veículo elétrico que possa carregar em tipo 2 (vulgarmente conhecido como Mennekes).

Distribuição dos carregadores normais em Portugal (junho 2020).


A importância das redes privadas é fundamental para o harmonioso desenvolvimento da Rede Pública pois permite que um conjunto muito significativo de veículos elétricos, quer de uma determinada marca, Tesla ou Porsche, quer de frotas de TVDE, táxis, autarquias, empresas públicas ou privadas, possam carregar nessas redes privadas, não sobrecarregando assim a Rede Pública de Carregamento. As Redes Privadas são um complemento da Rede Pública, ambas integrando a Rede de Carregamento para Veículos Elétricos em Portugal.

Rede de Carregamento para Veículos Elétricos em Portugal (junho de 2020).


A entrada em fase comercial dos carregadores situados em espaços privados de acesso público, que se verificou a 1 e abril de 2019, já está a produzir efeitos muito positivos no aumento da rede disponível. Praticamente todos os dias são anunciados novos carregadores, novos projetos, novas parcerias, como sejam os exemplos da cadeia Lidl com a KLC, da cadeia Auchan com a Helexia, ou a Estação de Carregamento em construção no Alegro do Montijo com sombreamento e produção de eletricidade através de um sistema de painéis fotovoltaicos.

Posto de Carregamento Rápido no Lidl

Posto de Carregamento Rápido no Auchan


Estação de Carregamento para Veículos Elétricos em construção no Alegro Montijo.

Exige-se que com a entrada em fase comercial da totalidade da Rede Pública, todos os postos de carregamento existentes em Portugal passem a estar disponíveis, funcionais, devidamente sinalizados, protegidos do sol e da chuva, com os tarifários afixados e que as atualizações de software ou quaisquer outras efetuadas pela EGME, não originem, quebras na Rede, que não poderão ser toleradas, se quisermos que a mobilidade elétrica se desenvolva em Portugal. Todos sabemos que são necessários mais postos de carregamento para veículo elétricos, semi-rápidos, rápidos, super-rápidos ou normais, mas também sabemos que terão de existir mais viaturas para acelerar esse mesmo alargamento da Rede. Para quem começou a utilizar carro elétrico em 2011, quando apenas existiam 5 PCR instalados em Portugal, e que viu a Rede estagnada até ao verão de 2016, o atual panorama é francamente positivo, permitindo já viagens por todo o país. Mas são precisos mais, e mais para o interior com estações de multi-carregadores cada vez mais potentes. Será o que veremos ainda este ano e nos seguintes.

Rede Pública de Carregamento (PCR+PCN) em Portugal


PCRs na Grande Lisboa e no Grande Porto.


O ano de 2020 ficará certamente registado como o ano da afirmação da mobilidade elétrica em Portugal, com cada vez mais modelos, com mais autonomia, mais económicos, e também com uma Rede e Carregamento Pública funcional e com capilaridade, o que todos os utilizadores de veículos elétricos, atuais e futuros, desejam e exigem.


Encontro Nacional de Veículos Elétricos 2020

Também nesta edição da revista Blueauto foi feita referência à alteração das datas de realização do Encontro Nacional de Veículos Elétricos 2020, em Lisboa, na Praça do Império em Belém.
Inicialmente previsto para julho deste ano, o ENVE 2020 Lisboa foi adiado para dias 19 e 20 de setembro.


A versão digital do nº 33 da revista Blueauto, de julho de 2020, será distribuída gratuitamente a todos os Associados UVE com a quota de 2020 ativa, na sequência da parceria estabelecida entre a UVE e a Blueauto.

Artigos relacionados



TERRA 2.0 e a Mobilidade Elétrica

Blueauto nº 31, maio de 2020.


Corona Vírus, COVID-19 e a Mobilidade Elétrica

Blueauto nº 30, abril de 2020.